Superstock 1000: Primeira vitória internacional da S1000 RR


280310badovinih

 

A primeira corrida de Domingo ficou marcada pela excelente luta pela vitória na categoria de Superstock 1000, que envolveu dois pilotos, Maxime Berger em Honda e Ayrton Badovini da BMW. A S1000 RR provou o porquê de ser considerada uma das melhores motos nas pistas hoje em dia, mostrando algumas das qualidades que já lhe são reconhecidas.

Desde cedo que a luta ficou restringida a apenas os dois pilotos que já referimos. À segunda volta, seis pilotos lutavam pelo terceiro lugar mas já a mais de três segundos dos dois primeiros e, numa luta que teve algumas desistências devido a quedas, sem consequências graves para os pilotos.

Mas o interesse estava na luta pela vitória. Cedo se percebeu que a vantagem de Badovini estava na velocidade de ponta da sua BMW S1000 RR, especialmente no final da reta da meta de Portimão, onde conseguia registar 295 km/h, marca superior a algumas motos de Superbike. Berger conseguia passar nas zonas sinuosas do circuito, até que, a 4 voltas do final, conseguiu mesmo manter a liderança no final da reta da meta e parecia que estava mais perto da vitória.

No entanto, Badovini não se deu por vencido, voltou à luta e recuperou o primeiro posto, até que, à entrada para a última volta e vendo que tinha de passar para a frente por todos os meios, Berger decidiu tentar uma manobra em esforço atrasando a travagem no final da reta da meta. Seguiu em frente na primeira curva, sem cair, mas a vitória estava garantida para o piloto da BMW.
Badovini venceu destacado, seguido de Berger, enquanto o terceiro posto acabou por ficar na posse de Loris Baz, da Yamaha YZF-R1, já a mais de dez segundos do vencedor.

Nesta categoria tivemos a presença portuguesa do piloto Tiago Dias, agora com uma Suzuki GSX-R 1000 da equipa HM Racing. O português nunca esteve em posição de discutir por lugares de destaque, mas conseguiu manter a mesma performance que já tinha demonstrado na temporada passada em Portimão. Terminou na 19ª posição, a menos de um segundo do piloto que o precedia e, com uma confortável vantagem de mais de 1,5 segundos para o piloto que seguia atrás de si.

 

Fonte: Motociclismo.PT

Deixe seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: