KTM apresenta nova 350 de Motocross


ktm_350med1

A KTM fez um enorme esforço para colocar esta moto no mercado e impôs um alguns condicionalismo como seja a abertura de uma classe especifica para esta cilindrada num futuro próximo, algo que foi prontamente rejeitado pelo conglomerado composto pelos construtores japoneses.
Assim sendo a KTM propôs-se alinhar com esta moto na classe de MX1 em 2010 com dois pilotos: o atual campeão do Mundo Antonio Cairoli e o português Rui Gonçalves.
Admirem-se os mais cépticos que, mesmo com 100cc a menos, a 350 lidera o mundial nesta classe e já venceu uma mão cheia de corrida em 2010.
A KTM anuncia cerca de 59cv para o modelo de fábrica, mas o modelo de produção terá alguns cavalos a menos.

A 350 da KTM em breves linhas:

Foram precisos mais de dez anos para a KTM apresentar uma alternativa ao sistema PDS (Progressive Damping System) que eliminava as bielas de atuação progressiva na traseira com um amortecedor fora do comum.
A KTM continua a apostar no desenvolvimento do PDS nas motos de enduro onde a baixa manutenção e o elevado nível de performance atingido atualmente não fica a dever nada às motos com bielas.

ktm_350med_2

Motor: O motor estreia uma cilindrada inovadora com 350cc e um sistema de gestão eletrónico. O motor da SX-F 350 está ainda equipado com arranque elétrico e algumas novidades ainda não divulgadas em termos concetuais. Rui Gonçalves já testou esta unidade e revelou estar extremamente agradado com a performance do mesmo. Segundo o piloto de Vidago esta é a melhor forma de transitar para a classe de MX1 sem ser necessário pilotar uma 450cc ultra potente.

Quadro: A estrutura da nova 350 é uma das múltiplas versões do  quadro em  que a KTM tem vindo a testar ao longo dos últimos quatro a cinco anos.
O aço continua a ser a matéria-prima favorecida por Mattighofen que ao longo dos anos tem se revelado com o melhor compromisso entre rigidez e conforto de pilotagem.
A liga utilizada em cromo molibdénio foi amplamente estudada em simuladores computadorizados e idealizada especificamente para esta moto, não é uma adaptação de outras estruturas

Suspensões: As enormes bainhas WP de 48mm na dianteira são o cartão de visita desta moto. Unidades que se encontram em todas as motos de motocross da KTM e que fornecem uma leitura bastante segura do terreno. Possuem uma elevada rigidez para estar de acordo com os requisitos dos pilotos da marca em termos de performance em pista. As mesas de direção foram estudadas para oferecer zonas de flexão específicas para diminuir a rigidez na condução em pisos mais duros e na recepção dos saltos. Com a opção do sistema de bielas a KTM teve que optar um novo amortecedor que continua a empregar a mais avançada tecnologia em termos de afinações e rigidez.

ktm_350_med3

Veja os videos de apresentação mais abaixo.

      

 

Fonte: Motociclismo.PT

Anúncios

Deixe seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s