Este é o Pegasus, o radar que sabe voar… Será que vem para o Brasil ?


Helicoptero_Pegasus

Após seis anos em intenso desenvolvimento, as autoridades espanholas, e especialmente a Direção Geral de Transportes (DGT), conseguiram finalmente a homologação de um novo tipo de radar que sabe voar!

Na realidade o Pegasus é um sistema de controle de velocidade aerotransportado, ou seja, o sistema está instalado num helicóptero da DGT. Também não é um radar no sentido mais técnico, pois não emite qualquer tipo de radiação eletromagnética para calcular a velocidade dos veículos.

Fixo num braço instalado no helicóptero, o Pegasus tem um “olho” que pode ser orientado em qualquer direção que o controlador queira, conseguindo assim controlar uma área do solo de 360º em redor do helicóptero.
Tal como referimos, o radar Pegasus é indectável, pois ao contrário dos radares convencionais, este sistema não utiliza as ondas rádio para calcular a velocidade dos veículos sob observação. O operador do sistema está sentado no helicóptero, e através de um joystick direciona o “olho” do Pegasus para um determinado veículo.

Uma das duas objetivas do Pegasus, convencional, fica fixa no veículo, enquanto a segunda objetiva, telescópica, realiza a gravação de um vídeo em alta definição, gravando a placa do veículo para as autoridades posteriormente enviarem a multa. Os cálculos da velocidade dos veículos são realizados por um sistema de laser, sendo por isso indetectável pelos mais diversos aparelhos que os condutores encontram no “mercado negro” atualmente, para evitarem ser apanhados pela polícia em excesso de velocidade – relembramos que estes aparelhos são proibidos por lei.

Para realizar a medição da velocidade apenas são necessários 9 segundos, nos quais o helicóptero tem de ter uma linha visual direta para o veículo a controlar, tem de estar a menos de um quilómetro de distância e a menos de 300 metros de altitude.

Neste espaço temporal o Pegasus realiza três medições, calculando então a média das três, que é depois utilizada para efeitos de multa. A margem de erro deste novo sistema é mais pequena do que nos radares convencionais, de apenas 3%, e o Pegasus pode medir velocidades de até 360 km/h!

O helicóptero apenas pode realizar voos de aproximadamente duas horas cada, e é ainda assim bastante dispendioso, razão pela qual as autoridades espanholas não vão utilizar muitas unidades para controlas as suas estradas.

Ainda assim, nessas duas horas em ação, o Pegasus, e caso o operador consiga usar o joystick na perfeição, consegue controlar um total de 800 veículos, o que pode ser verdadeiramente desencorajador para os condutores que não sabem o que está em cima deles!

A razão por que estamos a dar-lhe esta notícia que é mais “preocupante” para os condutores espanhóis, é porque sabemos que ideias destas são sempre bem acolhidas pelos responsáveis governamentais, especialmente sabendo dos “estragos” que o Pegasus pode causar às nossas carteiras.

Outra razão importante é o facto de sabermos que muitos motociclistas portugueses têm o hábito de atravessar a fronteira para Espanha, muitas vezes despreocupados com os limites de velocidade, sendo por isso apanhados mais facilmente.

Já sabe: quando estiver a pensar ir ver um dos Grandes Prémios em Espanha, ou mesmo apenas em viagem, fique atento aos limites… é que não vai conseguir saber se o Pegasus está a olhar para si!

Agora fica a pergunta, e se implantar esse sistema de radar aqui no Brasil como vai ficar? O que vocês motociclistas acha dessa nova tecnologia?

Fonte: Motociclismo/PT

Deixe seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s