Vai começar a MotoGP e você já sabe das novas regras ?


130404-motogpcatar-01

Foi dada a largada da temporada 2013 da MotoGP, fique por dentro das novas regras estabelecida pela comissão organizadora da MotoGP.

Todos vem acompanhando com atenção a dura batalha que os organizadores do Mundial de Velocidade, no sentido de cortar nos custos e melhorar o espetáculo, sabem que a partir de 2014 a categoria de MotoGP irá sofrer alterações significativas.

Mas, já na temporada de 2013, que tem o seu início esta tarde, às 16 horas, com a realização da primeira sessão de treinos livres das Moto3 – onde o “nosso” Miguel Oliveira está em destaque, existem algumas novidades que qualquer fã de MotoGP tem de saber!

Deixamos por isso aqui uma lista de coisas a não esquecer, um “refresh” de memória, para que perceba o que mudou.
Lista de novidades da categoria de MotoGP para 2013

Motores – os pilotos de motos protótipo vão ter à sua disposição um total de 5 motores para a temporada. Em 2012 o total à disposição era de 6. Esta redução foi a pedido dos próprios fabricantes, com a intenção de encontrarem novas formas de fabricar motores mais resistentes e, tecnologias que depois possam ser aplicadas em motos de produção.

Peso – o peso mínimo para os protótipos de MotoGP voltou a ser aumentado mais uma vez, sendo agora de 160 kg, mais três quilos do que verificámos na temporada passada. Este é o valor que estava originalmente planeado ser aplicado em 2012 mas, derivado dos pedidos dos fabricantes, a sua entrada em vigor foi adiada para agora.

Qualificação – será a maior e mais interessante alteração nas regras para esta temporada de MotoGP. A Qualificação da categoria rainha vai passar a ser dividida em três partes. Até agora os pilotos tinham uma hora seguida de sessão de qualificação mas, este ano, esse tempo foi substituído por mais meia hora de treinos livres, e duas sessões de qualificação de 15 minutos cada uma.

Embora todas as três sessões de treinos livres continuem a ser treinos livres, os pilotos serão no final da FP3 organizados e divididos pelos seus melhores tempos, obtidos em qualquer uma das três sessões. Os dez mais rápidos passam automaticamente à Qualificação 2, enquanto os restantes terão de batalhar na Qualificação 1. Desses, os dois mais rápidos avançam para a Q2, enquanto os restantes serão depois distribuídos na grelha de partida de acordo com os tempos então obtidos na Q1.

De referir que os dois pilotos que passam da Qualificação 1 para a Qualificação 2 por serem os dois mais rápidos, começam a segunda qualificação com os seus tempos a contar do “0”, ou seja, mesmo que os tempos que tenham obtido na primeira qualificação sejam mais rápidos que aqueles que obtiverem na segunda, o que conta será sempre o melhor tempo na segunda sessão de qualificação.

Estas alterações à sessão de qualificação apenas são aplicadas na categoria MotoGP! As Moto2 e Moto3 permanecem apenas com uma única sessão de qualificação como até agora.

Sistema de Pontos de Penalização – entra em vigor esta temporada um novo sistema de penalização por pontos, o que na prática significa uma aplicação mais “científica” dos avisos que habitualmente a Direção de Corrida dá aos pilotos em caso de conduta irregular em pista.

A partir de 2013 a Direção de Corrida tem a hipótese de impor penalizações por pontos a qualquer piloto que, pela sua postura, quebre as regras ou coloque outros pilotos em risco. As penalizações podem ir de 1 a 10 pontos por cada infração, e os pontos serão acumulados ao longo da temporada.

Assim que um determinado piloto atinja os 4 pontos, começa a próxima corrida do final da grelha de partida independentemente dos tempos obtidos na qualificação. Assim que somem 7 pontos começam da linha final do “pit lane”. Se atingir os 10 pontos no total, o piloto é impedido de competir no GP seguinte.

Depois de atingir os 10 pontos e cumprir respetiva penalização, o piloto vê o seu “cadastro” ser totalmente limpo.

De referir ainda que todos os pilotos que terminem a temporada atual com pontos na sua conta pessoal, começam a temporada seguinte sem qualquer ponto. Os pontos de penalização são apenas aplicáveis à temporada atual, não são por isso prolongados no tempo, de uma temporada para a outra.

Pneus – em 2013 os pilotos de MotoGP vão ter à sua disposição uma maior variedade de compostos dos pneus Bridgestone e, ainda, uma maior quantidade disponível durante cada GP.

Slick frente – 9 pneus por cada GP, com dois compostos à escolha; Quatro compostos à escolha durante a temporada (extra suave, suave, médio e duro); Pneu suave adicionalmente disponível quando a temperatura é fria, deixa de estar disponível por não ter sido utilizado em 2012; Pilotos podem escolher um máximo de 6 pneus do composto que preferem.

Slick trás – 11 pneus por cada GP, com dois compostos à escolha; Quatro compostos à escolha durante a temporada (extra suave, suave, médio e duro); Na maioria das corridas os pilotos CRT e os não CRT vão ter compostos à escolha diferente, com os CRT a poderem escolher um composto um “degrau” mais suave do que os não CRT; Cada piloto poderá escolher um máximo de 7 pneus da opção mais suave.

Pneus de chuva – 5 conjuntos de pneus de chuva por cada piloto para cada corrida; Três compostos disponíveis ao longo da temporada (suave, duro, extra duro); Em cada corrida existirão duas escolhas de pneus, um composto principal e um composto alternativo; Se todas as sessões forem consideradas “molhadas”, cada piloto terá um conjunto de pneus de chuva extra.

Fonte: Motociclismo/PT

 

Deixe seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s