Quanto custa correr na MotoGP?


11 República Checa 18, 19, 20 y 21 de agosto de 2016; circuito de Brno, República Checa

A MotoGP é um mundo à parte. O paddock está sempre lotado e é um dos lugares que vale a pena visitar enquanto se é vivo. No entanto, tudo tem um custo e estar competindo no motociclismo não é barato. Mas quanto é que uma equipe precisa para estar a competir a temporada inteira?

Paolo Campinoti começou a sua aventura no MotoGP, em 2002, após uma experiência na F1 ao patrocinar a equipe Benetton. A ideia era promover uma empresa familiar – a Pramac – através da visibilidade concedida pelo MotoGP. A paixão pelo automobilismo também apoiou a empresa. A Pramac começou na MotoGP através da Honda, antes de se tornar equipa satélite da Ducati. Além das corridas, a MotoGP tem sido uma ferramenta importante para fazer negócios e expandir contratos comerciais.

Francesco Guidotti – gestor da equipe – fala sobre os gastos numa temporada e os investimentos necessários para marcar presença num campeonato de MotoGP. A variável principal de uma equipe são os seus gastos com os seus pilotos. ‘Antes de falar sobre o orçamento, é importante chamar à atenção um pormenor. A Pramac é uma equipe que já esta com 15 anos de experiência de MotoGP, o que significa que também é um enorme investimento construir uma equipe do zero. Isto faz com que a diferença seja bastante, em termos anuais. A Ducati vai pagar 12.5 Milhões de Euros a Jorge Lorenzo, por temporada. Com esse dinheiro nós fazemos toda a temporada com dois pilotos…’

Pilotos
O salário dos pilotos pode variar milhões. É sempre resultado de uma negociação entre as duas partes. Regra geral, a diferença do salário de um piloto também varia se a equipe é uma equipe de fábrica ou se é uma equipe privada. Quando o salário é baixo, costuma haver um bónus bastante superior caso o piloto atinja certos resultados, mas a equipa também pode decidir investir mais na moto do que no piloto.

Moto
Para a Pramac ter 2 motos Ducati tem que pagar cerca de 4 Milhões de Euros, com algumas peças incluídas no orçamento. No próximo ano, a equipe vai pilotar com a GP17 e GP16, que é um enorme passo a frente.

Questões Técnicas
Esta parte representa 40/45% do orçamento, com um montante relacionado com falhas mecânicas e peças de reposição que não podem ser calculados com antecedência, mas que afetam fortemente o total final.

Funcionários
A Pramac conta com uma equipe de 23 membros, além dos 7 funcionários que trata da parte da hospitalidade europeia. No total, esta parte da equipe consome cerca de 15% do orçamento.

Pessoal (Logistica)
Esta é uma parte bastante importante que consome cerca de meio milhão de euros para mover 25 pessoas em todo o mundo, ao longo de 18 etapas. Inclui aluguel de carros, hotel, refeições e etc.

Equipamento
Há também a logística para o material, assim como as respectivas caixas onde vai esse material todo. Quase 90% dos gastos são cobertos pela Dorna/IRTA. Para os restantes 1000kg, a equipa paga 5€ por cada quilo/rota, totalizando 150/180 mil euros, incluindo os testes de inverno.

Camiões
A logística dos dois caminhões para transportar todo o material e equipamento, além dos quatro caminhões para o acolhimento da equipe, rondam os 120 mil euros. Os número são maiores se o objectivo for alugar veículos.

Estadia
O orçamento para esta componente pode ir até aos 2 Milhões. Além disso, é preciso calcular todo o custo de funcionamento que vai até aos 700 000€, bem como o fornecimento de refeições e bebidas para a equipe.

Patrocinadores
Para uma equipe privada, os patrocinadores são cruciais. Regra geral, eles cobrem cerca de 65% do orçamento planejado. Segundo Guidotti, a equipe vive graças aos patrocinadores. Estes podem ser diretos, como é o caso da Pramac (enquanto empresa que financia), e indiretos.

Garagem
Se é necessário configurar uma garagem do zero, será necessário cerca de 350 000€ para todo o material: paneis, ferramentas, parafusos e restante material para trabalhar na moto. Bancos, luzes e por aí adiante. Por exemplo, para as caixas são necessários 100 000€. O custo de uma caixa também depende de que tipo de material que é feito. No total, a equipa possui 26 caixas.

DORNA/IRTA
O contributo que chega da Dorna/IRTA a uma equipe de MotoGP abrange atualmente 30% do orçamento. Isto inclui prémios para os resultados e, também, uma contribuição para o transporte de caixas/material para as corridas fora da Europa.

A partir de 2017, a contribuição que a Dorna dá às equipes será muito mais estruturada. Estas assinaram um acordo de 5 anos para assegurarem o seu lugar no grid. Além disso, a Dorna vai cobrir todo o leasing das motos, que têm um preço estampado de 2/2.2 milhões de €. A juntar a isto, a IRTA irá continuar a cobrir boa parte do transporte dos equipamentos.

Texto: motorcyclesports

grid motors

Deixe seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s