CBR 1000RR Fireblade 2012: um ícone entre as superesportivas

CBR 1000RR Fireblade 2012: um ícone entre as superesportivas

img54824-1342620343-v580x435 - CBR 1000RR Fireblade 2012: um ícone entre as superesportivas

Vinte anos se passaram desde o lançamento da primeira Honda CBR Fireblade. Em 1992, era produzida a primeira geração dessa superesportiva, a CBR 900RR Fireblade, uma motocicleta que aliava um potente motor de 893 cm3 com um leve chassi e uma agressiva ciclística. Comemorando duas décadas de tradição, chegamos à oitava geração desse ícone entre as superesportivas, a nova Honda CBR 1000RR Fireblade 2012.

Importada do Japão, o novo modelo chega ao mercado brasileiro totalmente reformulado. Ainda sem controle de tração, a nova Fireblade recebeu uma nova carenagem e conjunto óptico, novo painel totalmente digital, novo mapeamento da injeção de combustível, novo sistema de suspensão, rodas com novo desenho com 12 pontas e ainda um diferenciado sistema de freios ABS. A convite da Honda, o MOTO.com.br foi até a região de Campinas, na Fazenda Capuava, para testar essa novidade.

img54823-1342620333-v580x435 - CBR 1000RR Fireblade 2012: um ícone entre as superesportivas

De cara nova
A nova Honda CBR 1000RR 2012 Fireblade foi projetada para realçar ainda mais o seu potencial esportivo, de “cara nova” a oitava geração da Fireblade mesmo parada parece que está voando.  O conjunto óptico frontal foi renovado e recebeu linhas angulosas, deixando a moto mais “bicuda”, enquanto a traseira, também renovada, conta com linhas mais compactas.

Com duas entradas de ar na frente que acompanham seus novos “olhos rasgados”, em alta velocidade, essa superesportiva tem a mistura ar/combustível pressurizada dentro da caixa de filtro de ar, momento onde temos toda potência e desempenho da Fireblade.

Seu painel de instrumentos também foi renovado, agora totalmente digital e com visor de LCD, oferece indicador de marchas, contador de voltas, Shift Light ajustável e conta-giros com 4 opções de visualizações, recursos tecnológicos que facilitam a pilotagem esportiva.

Além dessas funções, o novo painel também traz outros itens como a eficiência e consumo de combustível, hodômetro total e parcial, indicador de temperatura, velocidade, indicador de reserva e relógio.

img54840-1342620491-v580x435 - CBR 1000RR Fireblade 2012: um ícone entre as superesportivas

Mais do mesmo
O conjunto mecânico da nova Honda CBR 1000RR 2012 se manteve o mesmo 4 cilindros em linha com capacidade de 999,8 cm3, DOHC, 16 válvulas, arrefecido à líquido capaz de desenvolver 178,1 cv a 12.000 rpm e torque de 11,4 kgf.m a 8.500 rpm. Porém, agora recebe uma nova configuração do sistema de injeção de combustível, deixando a moto mais linear e proporcionando melhores respostas em baixa e média rotação onde havia alguns “buracos”.

As novas rodas de liga-leve de alumínio de 12 pontas, em vez de apenas três do modelo anterior são mais rígidas e com mais pontas, proporcionam uma melhor distribuição de massa. Seus pneus radiais de perfil superesportivo recebem na dianteira configuração de 120/70ZR 17 M/C, e na traseira 190/50ZR 17M/C, assegurando uma excelente aderência.

img54847-1342621052-v580x435 - CBR 1000RR Fireblade 2012: um ícone entre as superesportivas

Equipada com freio dianteiro de disco duplo de 320 mm com acionamento hidráulico e freio traseiro simples de 220 mm com acionamento por pistão simples, o modelo também é oferecido na versão C-ABS. Na pista de Capuava, pudemos avaliar as duas versões. Pilotando o modelo sem ABS, realmente a experiência do piloto é o diferencial para evitar o travamento desnecessário da roda em alguns momentos.

Já, pilotando a versão equipada com C-ABS, a diferença fica clara. A atuação do sistema eletrônico minimiza a possibilidade de travamento das rodas, evitando o mergulho da suspensão dianteira e o levantamento da roda traseira em frenagens mais fortes, mas tudo isso sem comprometer o comportamento esportivo da motocicleta.

img54814-1342620240-v580x435 - CBR 1000RR Fireblade 2012: um ícone entre as superesportivas

Suavidade e Tecnologia
Outro item renovado na versão 2012 do modelo fica por conta do conjunto de suspensão. A parte dianteira recebe garfo telescópio invertido (upside down), com curso de 110 mm, e sistema Big Piston Fork (BPF), que apresentam uma estrutura interna diferente dos garfos convencionais, garantindo boa estabilidade nas entradas de curvas.

Já a suspensão traseira é do tipo Unit Pro-Link, com sistema HMAS (Honda Multi Action System) e reservatório de gás. Porém, a novidade está no Balance Free Rear Cushion. Com curso de 138 mm, o amortecedor conta com dois tubos internos, ao invés de apenas um, proporcionando um melhor funcionamento e maior precisão no ajuste de compressão e retorno da tensão da mola.

img54833-1342620423-v580x435 - CBR 1000RR Fireblade 2012: um ícone entre as superesportivas

A CBR 1000RR Fireblade 2012 ainda recebeu a segunda geração do amortecedor HESD (Honda Eletronic Steering Damper), um amortecedor de guidão eletrônico que utiliza sensores de velocidade e aceleração, anulando aquelas eventuais vibrações do guidão em rápidas acelerações. Essa tecnologia também favorece uma melhor estabilidade do guidão em baixa velocidade, pois a eletrônica embarcada se ajusta a cada momento.

Aprendizado e Desfecho
Cada moto que piloto, posso dizer que é um aprendizado, independente da fabricante, estilo ou “tamanho”. Pilotar uma moto como a Honda CBR 1000RR Fireblade 2012 no dia do seu lançamento oficial em um lugar maravilhoso como Capuava é ainda melhor. Porém esse dia ainda pode ser considerado parte do meu eterno aprendizado, pois vi o chão de uma maneira não muito agradável.

Durante o dia, já havia pilotado as duas versões da Fireblade, com e sem o C-ABS, porém, horas depois me perguntaram se eu queria andar com os pilotos da equipe Honda Racing, Maico Teixeira e Cachorrão. Claro que aceitei! Algumas voltas com Cachorrão liderando o grupo, esparramei demais em uma das curvas e após pegar um pedacinho de grama antes da zebra o guidão torceu e fui para o chão.

img54815-1342620250-v580x435 - CBR 1000RR Fireblade 2012: um ícone entre as superesportivas

Como estava totalmente equipado e ainda a queda foi em uma curva de baixa velocidade, não me machuquei; apenas o dedão da mão direita luxado. Mesmo dentro de um circuito, cair não é a sensação mais prazerosa do mundo, mas a paixão pela moto e velocidade segue sempre comigo e assim como fui, voltei para casa pilotando.

Chega a hora do desfecho! Dotada de itens tecnológicos que proporcionam maior conforto e segurança até mesmo para a pilotagem esportiva, a Honda preferiu permanecer sem a adoção do Sistema de Controle de Tração, que acompanha a maioria das superesportivas atuais. Apesar disso, totalmente renovada, a nova Honda CBR 1000RR 2012 manteve a sua incrível ciclística e ainda se mantém como uma ótima opção entre as superesportivas.

– Confira vídeo a bordo da nova Honda CBR 1000RR Fireblade 2012 na pista de Capuava

Jornalista veste: Macacão Alpinestars Motegi 2 peças, Botas Alpinestars S-MX 5, Luvas Alpinestars SP-8 e Protetor Alpinestars Bionic Back Protector. 

FICHA TÉCNICA

Motor 999,8 cm3, DOHC (Double Over Head), 4 cilindros, 4 tempos, arrefecido a líquido
Potência máxima 178,1 cv a 12.000 rpm
Torque máximo 11,4 kgf.m a 8.500 rpm
Diâmetro x curso 76,0 x 55,1 mm
Alimentação Injeção eletrônica de combustível PGM-DSFI
Sistema de lubrificação Forçada, por bomba trocoidal
Relação de compressão 12,3 : 1
Sistema de ignição Eletrônica
Bateria 12V – 8,6 Ah
Farol 55/55W (baixo/alto)
Sistema de partida Elétrica
Capacidade do tanque 17,7 litros
Óleo do motor 3,7 litros
Transmissão 6 velocidades
Embreagem Multidisco em banho de óleo
Suspensão dianteira Garfo Telescópico invertido (upside down), com 120 mm de curso
Suspensão traseira UNIT PRO LINK, com 138 mm de curso e 10 regulagens
de pré-carga da mola
Freio dianteiro Discos duplos flutuantes com 320 mm de diâmetro e cáliper de quatro pistões
Freio traseiro Disco simples com 220 mm de diâmetro e cáliper de pistão simples
Pneu dianteiro 120/70 – ZR17 M/C (58W)
Pneu traseiro 190/50 – ZR17 M/C (73W)
Altura do assento 820 mm
Altura mínima do solo 130 mm
Chassi Diamond frame (alumínio)
Dimensões (CxLxA) 2.075 mm x 685 mm x 1.135 mm
Entre-eixos 1.407 mm
Peso seco 178/189 kg ABS
Cores Vermelha (STD e ABS), preta e branca (apenas STD)
Preço público sugerido R$ 56.900,00, versão Standard, e R$ 62.900,00 com freios ABS

Fotos: Honda/Divulgação

Fonte: MOTO.com.br