Ducati faz parceria com Dafra para produzir motos no Brasil

Ducati faz parceria com Dafra para produzir motos no Brasil

ricardo_susini-gabriele_del - Ducati faz parceria com Dafra para produzir motos no Brasil

Além de confirmar a criação da Ducati do Brasil, subsidiária brasileira da empresa, a marca italiana anunciou nesta segunda-feira (22), em São Paulo, que produzirá motos em Manaus. A montagem das motos será feita pela Dafra e as unidades chegarão no sistema CKD (Complete Knock Down, ou, totalmente desmontadas, em português). De acordo com a empresa, a produção começa nas próximas semanas, com a Diavel.

“O mercado de motocicletas brasileiro é um dos mais interessantes, além de ser o terceiro maior do mundo”, disse Gabriele Del Torchio, CEO da Ducati, durante coletiva de imprensa em São Paulo. A produção será feita pela equipe da Dafra sob supervisão da empresa italiana. A Ducati informa que irá distribuir e oferecer assistência aos produtos Ducati em todo o território nacional.

Ricardo Susini é o diretor geral da empresa e Marco Truzzi, ex-BMW, seu gerente de serviços e pós-vendas. A nova estrutura está baseada em São Paulo e, segundo a marca, ainda é necessário “cumprir formalidades necessárias” para a abertura de rede de concessionárias. Segundo a Ducati, a relação comercial com o antigo representante, o Grupo Izzo, foi finalizada.

Neste mês, o Grupo Izzo fechou as portas das concessionárias Ducati, e também da KTM (marca de motos austríaca), sem prévio aviso.

Diavel

Esta moto tem característica pecualiares, misturando os estilos esportivo, naked e custom – sua rival é a Yamaha V-Max, não disponível no Brasil. A moto vem com três modos de pilotagem que o motociclista escolhe através do manete esquerdo.

Na opção Urban Riding a potência é alterada de forma instantânea e diminui para 100 CV. O controle de tração começa a fazer seu trabalho para oferecer uma dinâmica melhor para o trânsito das cidades, aproveitando o que o motor pode oferecer.

No modo Touring Riding a potência gerada por seu motor bicilíndrico de 1.198 cm³ volta aos 162 CV, com melhoria da tração traseira. De acordo com a Ducati, isso oferece mais conforto para viagens longas. No Sport Riding, a Diavel oferece respostas mais rápidas para o acelerador.

Fonte: Autoesporte