Vídeo: Teste Ténéré 660

img56070-1345555671-v580x435 - Vídeo: Teste Ténéré 660

A partir do ano passado o Brasil se tornou o único país no mundo a comercializar os três modelos da família Ténéré. A última novidade foi a XT 660 Z, lançada na Europa em 2008 a motocicleta chegou ao Brasil no último salão Duas Rodas como principal atração da Yamaha.

Conforto e potência

Com a mesma proposta on off road da XT 660R, a Teneré chegou com algumas características que a diferencia. Ela foi projetada para proporcionar maior conforto em viagens longas sem deixar de lado sua praticidade, seja em qualquer terreno.

O seu guidão mais largo e o seu banco maior e macio (cerca de 4 cm maior do que o da XT 660R) proporcionam uma pilotagem mais confortável, além de seu alto para-brisas, que ajuda a desviar o vento em altas velocidades e de sua pedaleiras mais largas, facilitando a pilotagem em pé.

Apesar destas diferenciações a Ténéré 660 compartilha o mesmo motor da XT 660R. Um monocilíndrico OHC de quatro tempos com refrigeração líquida, capaz de gerar 48 cavalos de potência a 6.000 rpm. O diferencial entre eles está na pequena variação de torque, onde a Ténéré tem vantagem em médias rotações com 5,95 kgf.m a 5.500 rpm, o que a favorece um pouco mais em uso off-road.

Outro detalhe que remete a Ténéré 660 a uma moto para viagens é a capacidade de seu tanque com 23 litros, a mesma da Super Ténéré 1200. Rodando dentro do perímetro urbano a média foi de 18 km/l e na estrada aumentou para 22 km/l.

Muita potência e um conforto privilegiado fazem da Ténéré uma companheira ideal para todas as ocasiões. No meio do trânsito ela é bastante eficiente, nos corredores ela ultrapassa facilmente sobre os retrovisores da maioria dos veículos e é bastante respeitada pela sua imponência. O seu peso pouco mais de 200 kg em ordem de marcha não atrapalha nas manobras urbanas, e o seu motor forte permite ultrapassagens seguras quando necessário.

Uma visão diferenciada

Sentado na Ténéré 660 a cidade é avistada de cima, é possível enxergar o trânsito como se estivéssemos em cima de um trator, o que não deixa de ser verdade comparando sua força e o seu porte nos corredores.

Um fato curioso é que dentre as três motos da família Ténéré 250cc, 660cc e a 1200cc, o modelos testado é o mais alto, com altura total de 1.477 mm, cerca de 6,4 cm maior do que a Super Ténéré. Isso faz com que os pilotos menores de 1,70 tenham muita dificuldade para dominar a moto.

No entanto, existe para venda o kit conforto, que diminui até 10 cm a sua altura com apenas a instalação de uma peça na suspensão. Cotamos o valor na concessionária Família Yamaha, o preço é de R$ 350, e para quem adquirir a moto na loja o kit é grátis.

Na estrada

Para testar a proposta de conforto, viajamos para o interior de São Paulo a fim de sentir a reação da Ténéré na estrada. A cidade escolhida foi propositalmente Itú, onde tudo é maior. Por lá, as pessoas não estranharam o tamanho desta motocicleta.

Viajando pela rodovia Castelo Branco o vento era muito forte na ida ao interior, capaz de balançar a cabeça. O para-brisa e sua pequena carenagem frontal ajudaram bastante a desviar o vento, que não prejudicou o conforto durante a viagem. Seu banco com bastante espuma manteve uma confortável pilotagem durante todo o trajeto.

Mantendo a média de 120 km/hora a moto se manteve estável e com vibrações aceitáveis para uma monocilíndrica. Com um câmbio de cinco marchas, a moto possui uma ótima arrancada e boa velocidade de cruzeiro. Quando andamos abaixo dos 100 km/h a moto pede redução para quarta marcha, não da para manter a quinta em velocidades reduzidas.

Tanto no uso urbano quanto na estrada o motor da Ténéré esquenta um pouco e o calor é sentido nas pernas. Em dias quentes pode ser um incômodo. O seu para-brisa vibra bastante e quando está com o rpm mais alto fica fazendo um barulho chato, no entanto, a fixação de borrachas podem ajudar.

Freios e suspensão

Diferente dos modelos europeus a Ténéré no Brasil não possui a opção de freios ABS. Ela vem equipada com um conjunto de dois discos de acionamento hidráulico com 298 mm na dianteira e um disco simples de 245 mm na traseira. Este sistema é bastante eficiente, porém, na hora da emergência ou em dias de chuva seria muito útil um sistema com ABS.

É preciso tomar cuidado com o freio traseiro, ele é bastante sensível e faz a roda travar com facilidade. Quando estiver andando fora do asfalto o cuidado deve ser redobrado, pois a moto é um pouco pesada e faz a roda travar facilmente, o que pode te jogar ao chão. Neste caso o melhor a se fazer é utilizar o freio motor para segurar a moto.

Sua suspensão dianteira de 210 mm de curso é bastante eficiente, absorvendo todas as irregularidades do solo. A traseira possui balança em alumínio monoamortecida com curso de 200 mm, ajustável em cinco posições, que garante uma moto estável em qualquer terreno.

Andando nas ruas esburacadas das grandes cidades este conjunto te proporciona até uma diversão. Fica prazeroso guiar a motocicleta em terrenos acidentados.

Conclusão

Com preço Sugerido de R$ 31.110 a Ténéré se mostra mais uma opção dentre as Trails de média cilindradas, porém alguns itens que a moto não possui abre espaço para as concorrentes. No geral esta moto é ideal para o dia a dia e uma ótima companheira em viagens. Sua versatilidade faz parte da tradição do seu nome, que já reina há mais de 20 anos.

O jornalista usou nos testes jaqueta e calça Race Tech e capacete Mormaii.

Serviço
Cotação de Seguro (*)
A vista R$ 4.500

(*) Perfil médio: Homen, 25 a 35 anos, casado, sem filhos, com garagem em casa e no trabalho, morador de São Paulo e com residência em região razoável (zona sul ou zona oeste, por exemplo).

Kit de peças
Filtro de óleo: R$ 40,56
Filtro de ar: R$ 89,56
Pastilha dianteira: R$ 309,10
Pastilha traseira: R$ 244,46
Lâmpada do farol: R$ 69,60
Pneu dianteiro original: R$ 348,80
Pneu traseiro original: R$ 502,89
Kit relação (Coroa R$267,84, corrente R$293,74, pinhão R$536,48)

Agradecimentos
Cycle Assessoria e Corretora de Seguros
(11) 3159-0733
www.cycleseguros.com.br

Ficha técnica
Motor: OHC, monocilíndrico, 4 tempos, 4 válvulas e refrigeração líquida
Cilindrada: 660cc
Potência máxima: 48 cv a 6 mil rpm.
Torque máximo: 5,95 kgfm a 5.500 rpm
Câmbio: Manual de cinco marchas com transmissão por corrente
Diâmetro e curso: 100 mm X 84 mm.
Taxa de compressão: 10.0:1
Suspensão Dianteira: Garfo telescópico com pré-carga ajustável, amortecimento de compressão e retorno com curso de 210 mm.
Suspensão Traseira: Monoamortecida, ajustável para pré-carga e retorno com curso de 200 mm.
Pneus: 90/90 R21 na frente e 130/80 R17 atrás.
Freios: Discos duplos de 298 mm de diâmetro na frente e discos simples de 245 mm atrás.
Dimensões: 2,24 metros de comprimento total, 0,86 m de largura, 1,47 m de altura, 1,50 m de distância entre-eixos e 0,89 m de altura do assento.
Peso: 186 kg.
Tanque do combustível: 23 litros
Preço: R$ 31.110

Galeria de Imagens:

Fotos e vídeo: Post Varejos

Fonte: MOTO.com.br